Os dias são outonos: choram...choram... Há crisântemos roxos que descoram... Há murmúrios dolentes de segredos... Invoco o nosso sonho! Estendo os braços! E ele é, o meu amor, pelos espaços, Fumo leve que foge entre os meus dedos!

-Florbela Espanca-

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Truncada

Quando o amor era um bicho de muitas cabeças eu queria domar,
montava e montava...
Quando o amor se tornou um bicho de uma cabeça eu queria domar,
desmontava-me.
Aprecio a grossa textura do sofá, num calor de pernilongos,
picavam e picavam...
E o único calor que espiava meu corpo
despia-me congelado.



1 comentários :

JOSÉ ALVES disse...

Acho interessante seus textos. inspiram a gente a escrever.

Postar um comentário